WHATEVER

Archive for julho 2008

Raphaela diz:

O que vai acontecer em 2012?

[ Pacha] 2012 : Estejam preparados! diz:

o fim do mundo

Raphaela diz:

OK….. PQ? Vai ser qdo o Keith Richards vai morrer?

[ Pacha] 2012 : Estejam preparados! diz:

ah, aquilo não morre

é igual fungo

Raphaela diz:

nem ele nem o Iggy Pop

[ Pacha] 2012 : Estejam preparados! diz:

de qualquer forma, existe uma profecia maia que diz que haveria um grande evento no ano de 2012. mais especificamente em 22 de dezembro de 2012

Raphaela diz:

aaaaaaaaaah é

[ Pacha] 2012 : Estejam preparados! diz:

tanto que o calendário deles pára de contar ali

Raphaela diz:

mas eu resolvi abstrair, hehehehhe

[ Pacha] 2012 : Estejam preparados! diz:

só vai até esta data

[ Pacha] 2012 : Estejam preparados! diz:

eu sou alarmista, quero causar pânico na minha lista do MSN

Raphaela diz:

eu acho que isso de terminar o calendário aí é o cúmulo do TOC. Eles são tão organizados, que já agendaram o fim do mundo

[ Pacha] 2012 : Estejam preparados! diz:

e parece que acertaram todos os eclipses solares e lunares até lá

Raphaela diz:

viu?

Raphaela diz:

TOC

[ Pacha] 2012 : Estejam preparados! diz:

total

Raphaela diz:

bonito isso né?

[ Pacha] 2012 : Estejam preparados! diz:

e bem, eu acho isso legal

[ Pacha] 2012 : Estejam preparados! diz:

tem um documentário bem bacana falando do TOC dos maias

na verdade fala dos acertos das profecias maias

Raphaela diz:

será que os egipicios eram TOC tb?

[ Pacha] 2012 : Estejam preparados! diz:

certamente

[ Pacha] 2012 : Estejam preparados! diz:

ângulos perfeitos, sincronização espacial com as estrelas e seus monumentos

Raphaela diz:

é! tudo reto

Anúncios

Dexter Conheci o Dexter ano passado, quando soube que existia uma série sobre um psicopata que trabalhava para a polícia de Miami e que nas horas vagas matava serial killers e assassinos que conseguiam se livrar da lei. Bem a minha cara. Por isso baixei logo a primeira temporada toda e vi de uma vez. Foi amor à primeira vista! Um personagem altamente sedutor, numa série de muita qualidade, sem cair na mesmice de toooodas as outras séries policiais que tem por aí. Amooo C.S.I., não passo um dia sem ver Law & Order SVU, mas uma coisa diferente sempre é bem vinda, né?

Daí vi toooooda a primeira temporada, porque não ia aguentar ver a série dublada na FOX e apaixonei. O senso de humor peculiar de Dexter, combinado com a amoralidade da série, que não tenta justificar seu personagem, conquistam na hora. A série é violenta e pesada, o que causou alguns problemas nos EUA (claro!), mas tudo bem medido e de acordo com a trama muito bem costurada. Então, como eu disse, apaixonei pelo Dexter, pela série, por tudo, mas fiquei apreensiva em relação a segunda temporada. Porque se a primeira tinha sido perfeita, com quase todos os aspectos da vida do Dexter muito bem explorados, o que restaria para a segunda?

Pois é, mas aí que tá. O impossível aconteceu e a segunda temporada de Dexter é PERFEITA, chegando a ser melhor que a primeira, porque nela o personagem cresceu, tem vida própria e assim puderam explorar melhor todos seus lados, inclusive suas inseguranças. Nem vou entrar em muitos detalhes para não estragar as surpresas que acontecem. Ainda tenho esperança de que a FOX exiba a segunda temporada.

Pois é, a segunda temporada ainda nem foi exibida na TV aqui e Já estou ansiosa pela terceira, que de acordo com o site oficial volta no dia 28 de setembro. Estou louca pra reencontrar o Dexter. Será que demora muito pra setembro chegar?

Que bizarra essa tirinha da Mafalda em inglês

Muito nervoso.

Perde boa parte do charme, não?

E aqui recomeço tudo de novo.

Um novo/antigo blog, com um visual mais clean, que combina mais comigo.

Uma balzaquiana chegando aos 35…

Inclusive, espero que essa fase de implicar com a própria idade passe junto com o inferno astral. Tô muito chata com isso, cruzes!

Enfim, blog novo, posts e vida velha.

Sejam bem vindos ao meu novo “lar”!

Na segunda passada vi Batman: O Cavaleiro das Trevas, numa sessão de pré-estréia, antes de um monte de gente e blá blá blá.
Mas não é isso o que importa.
O que importa é que o filme é lindo.
Sim, lindo.
Então, na terça estava conversando com o Marcelo sobre um vinho que ele tomou em uma degustação naquele dia. Era um vinho francês, Montrachet 1947.
De acordo com ele, um vinho espetacular. De acordo com o Google, beeem caro.
Para que eu entendesse melhor a experiência dele com o vinho, ele tentou fazer uma analogia ao cinema, o que acabou me levando de volta à minha experiência na noite anterior com o Batman.
Antes que alguém ache que, agora sim eu enlouqueci completamente, deixa eu explicar.
Primeiro, que Batman: O Cavaleiro das Trevas está muito além de um simples filme de super herói. Há ação, há adrenalina, mas muito mais do que isso, há uma preocupação do roteiro em mostrar personagens complexos, que vão além do puro maniqueísmo bem e mal.
O grande vilão do filme, o Coringa, já se tornou um dos maiores vilões do cinema atualmente. O seu desapego ensandecido é o que mais aterroriza no filme. Assistir de camarote tudo ruir, exatamente como ele manipulou, é sua maior gratificação. Sem mencionar a atuação perfeita de Heath Ledger, que me deixou com um nó na garganta.
Outro ponto forte do filme é a atuação de Aaron Eckhart, de quem na verdade sou muito fã. Era quase óbvio que ele conseguirira se destacar entre tantas estrelas. Harvey Dent não poderia ser outro neste filme, assim como o Coringa também não.
E o Batman, que quase se torna um coadjuvante em seu próprio filme, observa e tenta não deixar tudo ser destruído, provando no fim do que são feitos os verdadeiros heróis.
É verdade que o “mundo” de Batman é bem mais sombrio que dos outros heróis, mas mesmo assim sempre há aquela nuvem de faz de conta em volta dos super heróis, que se dissipa nesse filme, tornando-o um excelente filme policial. O que agrada tanto os fãs xiitas de HQ, quanto os cinéfilos que poderiam torcer o nariz para o Batman. Já que acima de tudo, não há dúvidas que se trata de um filme do Christopher Nolan, tornando-o, também, um filme completamente autoral.
Enfim, uma experiência mais do que gratificante para os amantes do cinema. O que me levou a pensar durante nossa conversa sobre o Montrachet 1947, é que com certeza assistir pela primeira vez um filme tão impactante, deve ser como provar um vinho francês espetacular.
GENTE! O MUNDO TÁ ACABANDO!
JURO!
Atentem para os sinais:
Primeiro morreu o Roberto Marinho, que tooodo mundo sabia que não ia morrer nunca. Mês passado foi-se o Jamelão, outro que eu tinha certeza que já tinha entregado o corpo pra ciência pra ser estudado.
E hoje morreu a Dercy!
GENTE! A DERCY GONÇALVES MORREU!
É O FIM DO MUNDO!

Se o Keith Richards passar dessa pra melhor, acho melhor a gente começar a pensar numa saída, porque o negócio vai ficar feio…

Hoje começou no Rio a 16ª edição do Anima Mundi.


Coloque seu e-mail para receber novidades e notificações do Blog.

Junte-se a 4 outros seguidores

Tuitando:

Flickr Photos

Blog Stats

  • 16,753 hits